Genérico para colesterol é aprovado

A Anvisa aprovou o registro de dois novos genéricos: quetiapina, para esquizofrenia, e rosivastatina, para reduzir os índices de colesterol. Ambos movimentam cerca de R$ 324 milhões por ano.

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2011 | 00h00

A medida reflete uma nova estratégia da agência, que passa a dar prioridade à análise de remédios considerados estratégicos para o governo. São drogas que, pelo alto preço ou uso significativo, passam a ser prioritárias.

A lista das drogas que terão prioridade tem mais 18 itens. Segundo o presidente em exercício da Anvisa, Dirceu Barbano, a análise dos processos começou, mas não há prazo para conclusão. "Há medicamentos em que o exame é mais trabalhoso. Também dependemos da qualidade de informações apresentada pela indústria."

Ontem, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, apresentou uma possível solução para a polêmica em torno da análise da patente de remédios. A alternativa para impasse criado em janeiro, após parecer da Advocacia-Geral da União reduzindo as atribuições da Anvisa, seria a criação de um grupo dentro do governo com a missão de criar um rito de análise conjunta: Anvisa e Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) decidiriam o caminho para processos cujos pareceres fossem conflitantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.