Gerente da Anac diz que recomendação a reverso vale

O gerente de padrões de avaliação de aeronaves da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Gilberto Schittini, afirmou hoje em audiência pública na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo da Câmara que a recomendação para que o reverso (aparelho de desaceleração das turbinas do avião) dos aviões sejam utilizados para pousos em pista molhada é válida. Com essa afirmação, ele negou o que a ex-diretora da agência, Denise Abreu, havia dito na CPI. Na ocasião, Denise afirmou que a instrução, publicada no site da Anac em janeiro, era apenas um estudo interno, e não uma norma válida. Segundo Schittini, a recomendação vem sendo feita desde abril pela Anac.A norma causou polêmica porque foi apresentada à juíza Cecília Marcondes, do Tribunal Regional Federal de São Paulo, que usou a recomendação como base para liberar o uso da pista principal do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, que ainda passava por obras. Se a norma estivesse em vigor, o avião da TAM que se acidentou em 17 de julho não poderia ter pousado, pois chovia e a aeronave estava com defeitos no reverso. As informações são da Agência Câmara.

AE, Agencia Estado

06 de setembro de 2007 | 14h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.