Gleisi apoiou projeto de aldo

Paranaense, ela saiu em defesa dos produtores

Andrea Vialli, O Estado de S.Paulo

09 Junho 2011 | 00h00

A nova ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, defendeu o texto do novo Código Florestal no Plenário do Senado no dia 9 de maio, duas semanas antes de o projeto, de autoria do deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), ser aprovado na Câmara dos Deputados. Paranaense, a ministra da Casa Civil saiu em defesa da agricultura familiar.

"O relatório do Aldo Rebelo conta com forte aceitação entre produtores do meu Estado, o Paraná. Ali, 86% dos estabelecimentos rurais são da agricultura familiar", disse a atual ministra.

Ela defendeu a dispensa de recuperação da reserva legal para propriedades de até 4 módulos fiscais, que, no Paraná, abrange propriedades de cerca de 80 hectares em média, segundo Gleisi. "Das quase 380 mil propriedades rurais no Paraná, cerca de 320 mil serão beneficiadas se essa medida for aprovada", disse a ministra. O texto foi aprovado na Câmara no dia 24 de maio.

O posicionamento de Gleisi a favor das mudanças no Código Florestal pode indicar um embate com a da presidente Dilma Rousseff, que reafirmou, esta semana, que é contrária à anistia aos desmatadores.

"Não negociaremos a questão do desmatamento. Iremos cumprir os compromissos que assumimos e não permitiremos que haja volta atrás na roda da história", afirmou a presidente em discurso anteontem sobre a Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável que o Brasil sediará no ano que vem.

Márcio Astrini, coordenador da campanha Amazônia do Greenpeace, acredita que a posição da presidente no trato com a questão do Código Florestal prevalecerá.

"Dilma tem um compromisso de campanha de que zelará pela redução do desmatamento. Além disso, o Brasil assinou acordos internacionais nas áreas de clima e biodiversidade que a presidente afirmou que iremos cumprir", diz. "Gleisi terá de rever seu discurso, pois agora ela faz parte do governo e não representa apenas seus eleitores."

Na avaliação de Cesário Ramalho da Silva, presidente da Sociedade Rural Brasileira, a visão de Gleisi, agora na Casa Civil, sobre a reforma do Código Florestal deve influenciar a posição da presidente Dilma Rousseff.

"A nova ministra é uma voz diferenciada que pode levar à presidente Dilma mais clareza nessa discussão", diz.

De acordo com ele, Gleisi conhece a situação dos produtores rurais de seu Estado e deve lutar para tirá-los da ilegalidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.