Gleisi explica desoneração da União em tarifas de ônibus

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, explicou a jornalistas, na noite desta terça-feira, 18, no Palácio do Planalto, o estudo do governo federal sobre o impacto das desonerações federais nas tarifas de ônibus, corrigindo informações divulgadas anteriormente.

RAFAEL MORAES MOURA E TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

18 de junho de 2013 | 21h29

Ao comentar o cenário de São Paulo, a ministra disse que o governo federal abriu mão de R$ 0,23 em impostos federais na tarifa da capital paulista, com a desoneração da folha de pagamento e a isenção de PIS/Cofins sobre os serviços de transporte coletivo.

Com as medidas, o governo federal abriu mão de R$ 0,21 na tarifa em Cuiabá, de R$ 0,20 em Belo Horizonte e de R$ 0,21 no Rio de Janeiro.

De acordo com Gleisi, as medidas possibilitaram a prefeituras de todo o País reduzir a tarifa ou aumentar menos o preço. A ministra destacou, no entanto, que há outros custos que compõem a passagem.

"O que quisemos aqui foi mostrar que o esforço do governo federal em redução de impostos abriu espaço para ajudar as prefeituras na administração do preço das suas passagens, ou para reduzir, ou para aumentar menos", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
tarifasGleisi Hoffmannimpostos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.