Globalização das instituições é inevitável

Para Leandro Tessler, coordenador de Relações Internacionais da Unicamp, a internacionalização é "caminho sem volta". Segundo ele, as propostas curriculares devem proporcionar aos alunos uma visão ampla, já que, em ciência, "nada é feito por uma só pessoa". "Para validar um estudo, o cientista está sujeito a avaliações internacionais."

Isis Brum / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.