Goiânia, segunda casa do São Paulo

O caminho do quarto título brasileiro seguido do São Paulo passa pela Região Centro-Oeste outra vez. E o clube agradece. Depois de uma recepção calorosa no Distrito Federal, no ano passado - levantou a taça ao bater o Goiás por 1 a 0, no Bezerrão -, a equipe enfrenta domingo o mesmo rival no Serra Dourada, em Goiânia. Estará em casa, pois é o lugar onde tem maior torcida fora do Estado.

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

26 de novembro de 2009 | 00h00

Segundo a consultoria TNS, os são-paulinos só não são maioria em Goiás porque ficam 6,6 pontos porcentuais atrás do adversário de domingo - têm 17,1% dos torcedores no Estado diante de 23,7% dos donos da casa. Podem repetir a mobilização que se viu no Distrito Federal, quando o Bezerrão, embora seja pintado com as cores do Goiás, teve quase 20 mil torcedores do São Paulo.

"Para nós é sempre um grande prazer jogar no Serra Dourada", afirma o diretor de futebol João Paulo Jesus Lopes. "Sempre dividimos ou até temos a maioria dos torcedores no estádio. No ano passado, até lamentamos não poder jogar lá porque o Goiás perdeu o mando de campo no último jogo do campeonato."

O clube goiano já começou a vender ingressos (a carga total é de 38 mil entradas) para a partida com o São Paulo. Pretende lucrar com a situação favorável dos visitantes. O bilhete mais barato para a partida custa R$ 50 (cadeiras saem por R$ 100).

"Estamos trabalhando com a hipótese de reservar metade do estádio para os torcedores do São Paulo", conta o superintendente administrativo do Goiás, Marcelo Segurado. "Por enquanto, a procura ainda está fraca, mas, se no dia houver mais são-paulinos, podemos abrir mais espaço para os visitantes."

O Centro-Oeste é uma região estratégica no plano de expansão do São Paulo. A meta do clube, nada modesta, é igualar o Flamengo, que tem 17% da torcida brasileira. Os são-paulinos ainda estão longe (8%), mas o departamento de marketing do clube acredita que, com os títulos seguidos, podem alcançá-la até 2016.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva julga hoje recursos do São Paulo contra a suspensão de três jogos imposta a Dagoberto, Borges e Jean. O mando de campo diante do Sport, dia 6, também estará em jogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.