Goiano acusado de matar inglesa será julgado em abril

Réu confesso, Mohammed D'Ali Carvalho dos Santos pode pegar até 30 anos de prisão

Rubens Santos, Agência Estado

26 Novembro 2008 | 19h57

O goiano Mohammed D'Ali Carvalho dos Santos, que confessou ter matado, esquartejado e ocultado o cadáver da inglesa Cara Marie Burke, há quatro meses, será julgado a partir o mês de abril do ano que vem. A decisão foi tomada nesta quarta, 26, pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Goiânia, Jesseir Coelho de Alcântara, que quer saber se o crime foi cometido sob forte pressão emocional ou se o goiano tem problemas mentais. O juiz entende que o resultado dos exames de sanidade mental e de dependência toxicológica, a serem liberados em fevereiro, vão definir se Mohammed D''Ali, de 21 anos, é uma pessoa normal, imputável ou semi-inimputável. No primeiro caso, ele poderá ser condenado a mais de 30 anos pelo crime. Na opção da imputabilidade, Mohammed não teria sido capaz de conter o impulso para matar a inglesa, de 17 anos. Se for atestado como semi-inimputável, ele terá a pena reduzida."Acredito, realmente, que o Mohammed será declarado semi-inimputável devido à dependência de drogas", disse o advogado de defesa, Carlos Trajano. Com base nos laudos, o juiz também decidirá se o réu será levado a Júri Popular, ou não. "A decisão será tomada a partir da liberação dos laudos", disse o magistrado, que hoje ouviu Mohammed na fase de instrução e julgamento do processo. No depoimento, o ex-namorado da inglesa disse não se lembrar de detalhes pelo efeito das drogas que usou. Ele relatou, porém, que os dois discutiram. "De repente comecei a esfaqueá-la."

Mais conteúdo sobre:
violênciamorteinglesaGO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.