Google diz não ter responsabilidade sobre fotos de Carolina Dieckmann

Empresa explicou que não interfere nos resultados de busca; fotos íntimas da atriz estão na web

Antonio Pita - Agência Estado,

09 Maio 2012 | 18h57

RIO DE JANEIRO - O Google se pronunciou nesta quarta-feira, 9, pela primeira vez sobre a divulgação das imagens íntimas da atriz Carolina Dieckmann. O site de buscas se eximiu da responsabilidade pela publicação das fotos e disse que não interfere nos mecanismos de buscas da internet. Diante do posicionamento, os advogados da atriz voltaram a afirmar que podem processar o site, caso as imagens em que ela aparece nua não sejam retiradas do sistema de buscas.

Em nota, o Google informou que não tem responsabilidade sobre os conteúdos publicados na internet. A empresa explicou que "não interfere em seus resultados de busca" e que o mecanismo de pesquisa do site é uma ferramenta que identifica conteúdos publicados na internet. "Para que um conteúdo não apareça na busca do Google, é necessário entrar em contato com o site que hospeda esse conteúdo e solicitar sua remoção".

Antonio Carlos Almeida de Castro, advogado que representa a atriz, chegou a afirmar na manhã desta quarta-feira que não processaria o site. Segundo ele, o volume das imagens publicadas na internet diminuiu, o que o fez desconsiderar a ação. Após a divulgação da nota pelo Google, o advogado voltou atrás. "Acho ilegítimo e aético esse posicionamento. Qualquer site que exibe o conteúdo pode ser responsabilizado", afirmou Castro.

Empresário da atriz, o jornalista Alex Lerner voltou à Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, para complementar seu depoimento. Os detalhes não foram divulgados, sob a alegação de que poderiam prejudicar o andamento do inquérito. Segundo o advogado de Carolina Dieckmann, nenhuma hipótese sobre o vazamento das imagens foi descartada, mas que a polícia está próxima de uma solução para o caso. "Tenho conversado com o delegado e as investigações estão avançando bem. Acredito que teremos uma solução mais cedo do que pensávamos", afirmou Castro. Além da hipótese de que as imagens foram copiadas do computador pessoal da atriz, a polícia também investiga se as imagens estariam em um celular que foi doado pela atriz.

Mais conteúdo sobre:
Carolina Google

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.