Google elimina 200 vagas, no 2º corte da história da empresa

Empresa vai demitir 200 pessoas na área de marketing e vendas em todo o mundo - cerca de 1% de sua equipe

Danielle Chaves, Agência Estado

26 Março 2009 | 18h19

O Google Inc. vai cortar quase 200 posições da área de vendas e marketing em todo o mundo, argumentando que organizações sobrepostas tornaram sua equipe "menos efetiva e eficiente do que deveriam ser". O Google tem sido mais resistente à crise econômica do que outras companhias de tecnologia e, até recentemente, vinha evitando demissões. Os primeiros cortes da história da empresa foram anunciados em janeiro, quando 100 posições da área de recrutamento foram eliminadas.

 

Os cortes representam 1% dos 20 mil empregados da empresa. A companhia também tomou outras medidas para redução de custos, como a diminuição do horário dos serviços de alimentação e a oferta de aparelhos celulares aos funcionários em vez de bônus em dinheiro no fim do ano.

 

A empresa vai fornecer pacotes de pagamentos e benefícios aos funcionários que deixarem a companhia e vai tentar alocar cada indivíduo em alguma outra função na empresa. O Google não divulgou os encargos que espera ter com relação aos cortes e não informou quando eles deverão ser feitos.

 

Em fevereiro, o Google disse que estava abandonando o negócio de venda de anúncios em rádio e, em janeiro, fechou sua unidade de venda de anúncios em jornais. A companhia também cortou custos ao desativar projetos que não eram diretamente ligados ao seu negócio principal, de anúncios em páginas de busca, que vem sustentando a empresa durante a crise. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
googledemissõescrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.