Google inaugura loja digital de livros nos Estados Unidos

Livraria eBooks vai oferecer 3 milhões de títulos, desafiando a Amazon e a iBookstore da Apple.

BBC Brasil, BBC

06 de dezembro de 2010 | 17h45

Site permite que usuários baixem cerca de 3 milhões de livros

O site de buscas mais popular do mundo, o Google, está inaugurando sua loja de livros digitais, batizada de eBooks, nesta segunda-feira, nos Estados Unidos.

Com isso, o Google passa a permitir que seus usuários - agora compradores - baixem cerca de 3 milhões de livros em diversos tipos de aparelhos.

O novo serviço vai competir diretamente com o equivalente oferecido pela loja Amazon - onde títulos são baixados no aparelho Kindle, da própria Amazon - e com a loja iBookstore, da Apple.

A inauguração foi adiada em função de disputas técnicas e de cunho legal, mas o Google disse esperar que o lançamento represente um marco na história do livro digital.

"(A loja) beneficia autores porque eles vão poder ficar mais visíveis e mais acessíveis do que é fisicamente possível no espaço restrito de uma livraria", disse o diretor de livros do Google, Santiago de la Mora.

"Ela também vai ser boa para as editoras, que poderão promover lançamentos anteriores", afirmou.

Posição do Google

Analistas da indústria apostam que o Google pode vir a ocupar uma posição de peso no setor.

Segundo James McQuivey, da empresa de pesquisas Forrester, o site possui informações que a concorrência não tem. O Google sabe, por exemplo, quando seu usuário está procurando certos títulos e certos autores.

"(A loja) pode não ser capaz de atrair os usuários do Kindle, porém existem milhares de pessoas que leem, mas não possuem um Kindle". ele acrescentou.

Segundo a Forrester, 10,3 milhões de aparelhos para leitura digital (e-readers) foram vendidos nos Estados Unidos em 2010, sem incluir o iPad. A empresa prevê que, no final deste ano, o valor deste mercado alcance cerca de US$ 966 milhões.

A previsão de McQuivey é que este mercado dobre de tamanho em 2011.

Objeções

O relacionamento do Google com a indústria de livros é um tanto quanto conturbado.

Críticos do site protestaram quando o Google anunciou que pretendia escanear milhões de livros. Eles argumentavam que o site poderia se tornar o único curador de uma enorme biblioteca online.

Além disto, o Google vem travando há dois anos uma batalha legal com autores e editoras nos Estados Unidos.

O site concordou em criar um Books Rights Registry, um registro de direitos onde autores podem registrar seus títulos e receber indenização, mas a decisão do tribunal americano que avalia o caso ainda não foi anunciada.

McQuivey acredita que a habilidade do Google de oferecer a seus usuários o acesso a clássicos da literatura pode beneficiar seu projeto eBook.

"Se você pode ler Les Miserables de graça usando o sistema do Google, esta é uma forma de atrair as pessoas e abrir seu apetite por leitura digital".

O serviço eBook europeu do Google deve ser lançado na Europa no próximo ano.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.