Gorbachev pede a Gates piedade por ´pirata´ de software

O ex-líder soviético Mikhail Gorbachev pediu ao co-fundador da Microsoft Bill Gates para interceder em favor de um professor russo acusado de usar programas piratas em sala de aula. Em uma carta aberta, Gorbachev, vencedor do prêmio Nobel da Paz, disse que o professor Alexander Ponosov, morador de uma remota vila nos Montes Urais, deveria receber perdão porque não sabia que estava cometendo um crime. "Um professor, que dedicou sua vida à educação de crianças e que recebe um salário modesto que nem se compara aos salários de funcionários comuns de sua companhia está sendo ameaçado de prisão em campos de detenção siberianos", diz a carta, publicada no site da fundação de caridade de Gorbachev. "Temos muito respeito pelo trabalho dos programadores da Microsoft (...) e não estamos de maneira nenhuma colocando em dúvida o princípio de punição a quem violar propriedade intelectual", diz o ex-líder soviético na carta. "Entretanto, neste caso nós pedimos para você mostrar clemência e retirar a queixa contra Alexander Ponosov." "Este gesto nobre será recebido de maneira entusiasmada por todos aqueles que usam produtos Microsoft na Rússia", diz a carta. Promotores acusam Ponosov, professor de uma escola de ensino médio na região de Perm, de violar propriedade intelectual da Microsoft ao usar computadores de sua escola equipados com cópias não licenciadas de programas da gigante do software. A Rússia tem promovido uma intensa campanha de combate à pirataria em esforços para integrar o país à Organização Mundial do Comércio (OMC).

Agencia Estado,

05 Fevereiro 2007 | 12h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.