Governadora se diz 'chocada' com prisão de moça no PA

A governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), disse hoje ter ficado "chocada" ao saber que uma mulher passou 15 dias presa com 20 homens numa mesma cela em Abaetetuba, a 80 quilômetros de Belém. A governadora admitiu que o caso pode não ser um fato isolado, mas disse que seu governo não tinha conhecimento da prisão de mulheres com homens no interior do Estado, apesar de não haver carceragem feminina em Abaetetuba. Ana Júlia contou ter ficado surpresa ao ser informada da denúncia de estupro em troca de comida feita pela jovem ao conselho tutelar."Chocou a mim também como mulher e como governadora", disse Ana Júlia, que esteve no Rio hoje para um almoço com empresários. Ela afirmou que, além de afastar o delegado responsável e os superintendentes da Polícia Civil e do sistema penal do Estado, determinou uma investigação rigorosa. "Instauramos um inquérito para apurar responsabilidades e vamos punir de forma exemplar. Se ela tem 15, 20, 50, 80 anos ou até 100 anos, não importa. Uma mulher não poderia estar presa numa cela junto com homens", afirmou.Apesar das violações aos direitos humanos no sistema carcerário do Pará já denunciadas por organismos internacionais, a governadora disse que esse não é um problema apenas do seu Estado. Ela insistiu que não tinha conhecimento do que se passou em Abaetetuba, mas admitiu que pode ter ocorrido outros casos. A governadora indicou que há a suspeita das autoridades de que a jovem foi presa para viabilizar sua exploração sexual pelos presos.

ALEXANDRE RODRIGUES, Agencia Estado

21 de novembro de 2007 | 18h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.