Governo contesta estudo sobre tipo 4 da dengue

Um estudo da Fundação de Medicina Tropical do Amazonas que aponta a reintrodução do vírus tipo 4 da dengue no Brasil causou polêmica entre a instituição, o governo do Estado do Amazonas e o Ministério da Saúde. O tipo 4 do vírus, que não era identificado no Brasil desde 1982, foi encontrado em três pacientes examinados em Manaus, segundo relato de pesquisadores da fundação na edição de abril da revista Emerging Infectious Diseases, do Centro de Controle de Doenças dos EUA. Os testes de isolamento foram realizados na fundação e revalidados na Universidade de Porto Rico, colaboradora do estudo.A Fundação da Vigilância em Saúde (FVS) do Amazonas e o Ministério da Saúde, no entanto, informaram não reconhecer os resultados, uma vez que não foram validados por laboratórios no País. O ministério vai enviar uma carta à publicação americana contestando a pesquisa. ?O ministério vem acompanhando esse caso e foi uma precipitação dos pesquisadores divulgar esse resultado, contestado pela contraprova realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)?, disse ontem no Rio o secretário-adjunto de Vigilância em Saúde da pasta, Fabiano Pimenta.?Felizmente verificou-se que não era o tipo 4, porque a introdução de um novo sorotipo da doença ia complicar ainda mais o controle da epidemia no Rio?, afirmou.?Nossos testes não comprovaram a reintrodução do vírus. Acho que houve erro nas análises feitas para o estudo?, afirmou Pedro Fernando Vasconcelos, chefe do setor de Arbovirologia do Instituto Evandro Chagas, braço da Fiocruz no Pará que tentou validar os testes. Pimenta, no entanto, considera inevitável a entrada do tipo 4 do vírus, que já circula em países vizinhos e do Caribe, como Venezuela, Equador e Honduras. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

28 de março de 2008 | 09h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.