Governo dá mais prazo para cafeicultor pagar financiamentos

O governo brasileiro ampliou o prazo para os produtores de café pagarem financiamentos que venceriam agora, de acordo com resolução aprovada nesta quinta-feira pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Reuters

28 de março de 2013 | 20h17

A partir de junho, eles terão 12 meses para pagar os financiamentos, que incluem operações relativas a estocagem de café.

A medida é uma das reivindicações do setor produtivo que lida com preços baixos --as cotações internacionais do café arábica caíram cerca de um terço em um ano.

Os produtores, no entanto, não tiveram uma importante reivindicação atendida pelo governo.

Eles queriam a elevação do preço mínimo de garantia do arábica para 340 reais por saca, ante 261 reais atualmente, o que viabilizaria a implantação de ferramentas de mercado como os leilões de opções e o Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro), instrumentos utilizados para dar sustentação aos valores globais.

A nova safra de café do Brasil, com colheita iniciando em meados deste ano, tem tudo para ser grande, já que o clima tem colaborado. Esse cenário tem pressionado as cotações na bolsa de Nova York.

O Brasil deverá colher neste ano a maior safra de café para um ano de baixa do ciclo bianual, que alterna colheitas maiores e menores a cada ano, segundo o governo.

O país deverá produzir 48,57 milhões de sacas de 60 kg, estimou a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). ( Por Peter Murphy)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSCAFEPRAZO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.