Governo de SP começa a transferir 91 presas de Bilac

O governo de São Paulo começou a transferir hoje as 91 presas que viviam em condições desumanas na Cadeia Feminina de Bilac, a 573 quilômetros da capital paulista. As detentas são deslocadas para três cadeias masculinas, em Buritama, Mirassol e Mirandópolis, na região noroeste do Estado. As prisões masculinas foram esvaziadas e os 120 ocupantes foram removidos para os Centros de Detenção Provisória (CDPs) de São José do Rio Preto e Caiuá (SP). Hoje, 39 presas foram levadas para a Cadeia de Buritama e outras 40 à de Mirassol. Amanhã, outras 12 serão removidas para Mirandópolis.A remoção foi determinada pelo governador José Serra (PSDB), depois que a Justiça interditou a Cadeia de Bilac, no dia 14. As detentas ficavam em três celas, de 22 metros quadrados cada, com capacidade para suportar seis pessoas. Por causa da superlotação e da precariedade das instalações do prédio, elas conviviam com doenças, falta de atendimento médico e dormiam até no banheiro. Havia ainda esgoto rompido e ligações elétricas improvisadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.