Governo de SP lança programa de estágios

O governo de São Paulo lançou hoje o Programa de Estágios do Estado, que amplia as vagas para estudantes dos ensinos médio, técnico e superior de instituições públicas e privadas. Segundo o governador José Serra (PSDB), o projeto pretende expandir para 12 mil as oportunidades de aprendizado. "Nós estamos ampliando o número de vagas para estágio em mais de 5 mil. Hoje, o montante oferecido é na ordem de 7 mil", destacou. De acordo com Serra, até hoje, existia o processo seletivo para 4 mil das 7 mil vagas disponíveis."Isso acontecia porque as entidades de administração descentralizada tinham outros critérios, não havia homogeneidade", afirmou. Nesta proposta, a Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap), órgão vinculado à Secretaria de Gestão Pública do Estado, será a responsável pelo processo seletivo."Vai facilitar e aprimorar o processo", observou. Os estágios terão duração de um ano, com possibilidade de renovação do contrato por mais um ano. A bolsa mensal varia de 300 reais a R$ 1 mil, de acordo com a carga horária e o nível de escolaridade. Do total de vagas oferecidas pelo governo de São Paulo, 2,21 mil serão destinadas aos alunos de ensino médio, 2,07 mil aos do ensino técnico e 7,97 mil para os estudantes de nível superior. Para os que residem na região da Grande São Paulo, o programa tornará disponível 7,8 mil vagas, e 4,4 mil para os estudantes do interior.Os alunos interessados poderão inscrever-se apenas pela internet, a partir de março, na página www.fundap.sp.gov.br. Os exames serão realizados em abril e a chamada dos alunos aprovados nos testes começará em julho. A prova será composta por questões de múltipla escolha de conhecimento gerais. O valor da inscrição para o processo seletivo é de 15 reais. "Se não tem estágio, não tem uma experiência anterior. Isso dificulta o ingresso no mercado de trabalho, e o estágio resolve isso", ressaltou o governador de São Paulo.SecretárioO secretário de Gestão Pública, Sidney Beraldo, que também estava presente na solenidade de lançamento do programa, afirmou que haverá uma seleção do curso e da cidade escolhidos pelo candidato durante a inscrição. "Um estagiário de Presidente Prudente (oeste do Estado) não vai poder vir fazer estágio aqui em São Paulo. Ele vai disputar as vagas lá", exemplificou. "Haverá uma combinação entre a cidade e o curso que ele faz. Em função do resultado da prova, ele vai escolhendo onde ele quer fazer o estágio", acrescentou.Na avaliação de Serra, esse programa não é só importante para os estudantes, mas também o governo do Estado, pois representará uma contribuição importante para as políticas públicas. "Para o governo, é uma boa porque os melhores poderão integrar os quadros do funcionalismo da administração direta ou de empregados das empresas", observou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.