Governo de SP oferece trabalho a dependentes químicos

Após o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), lançar no início do ano o programa de auxílio a dependentes químicos "De Braços Abertos", o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta terça-feira, 25, a inclusão de dependentes químicos no Programa Emergencial de Auxílio Desemprego, conhecido como Frente de Trabalho.

CARLA ARAÚJO, Agência Estado

25 de fevereiro de 2014 | 13h13

A princípio, serão 40 vagas destinadas a dependentes que já estão em tratamento no Programa Recomeço, uma iniciativa estadual criada no ano passado com o objetivo de resgatá-los das drogas, principalmente do crack, oferecendo proteção e acompanhamento multiprofissional a eles e as seus familiares.

O contrato da Frente de Trabalho destinado aos dependentes terá duração de nove meses e prevê uma remuneração mensal de R$ 395, já incluídos vale transporte e vale refeição.

Ao menos 13 vagas já estão preenchidas desde segunda-feira, 24, segundo a Secretaria de Estado de Justiça, que é uma das pastas responsáveis pelo programa e abrigará parte dos participantes, que trabalharão como auxiliares de serviços gerais e administrativos.

Esses 13 participantes que já se inscreveram no projeto estão em tratamento no Centro de Referência de Álcool Tabaco e outras Drogas (Cratod).

Segundo o governo, após a implantação de plantão judiciário no Cratod, em janeiro de 2013, mais de 3.209 dependentes químicos foram internados. A maioria, 2873, de forma voluntária.

Tudo o que sabemos sobre:
SPtrabalhodependente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.