Governo do Egito está no 'caos total', diz político egípcio

A liderança do Egito está no "caos total", disse o ativista político egípcio Mohamed ElBaradei, em entrevista a um jornal austríaco. Ele pediu novamente que o presidente do país, Hosni Mubarak, abra caminho para um governo de unidade nacional.

REUTERS

11 de fevereiro de 2011 | 08h38

"Penso que reina o caos total no regime. É como o Titanic, Os ratos estão deixando o navio que afunda", declarou ElBaradei ao jornal Die Presse, em entrevista publicada nesta sexta-feira. Ele é diplomata da ONU aposentado e ganhador do Prêmio Nobel da Paz.

"O Exército tem um papel central. Até agora tem-se mantido amplamente neutro, mas agora o Exército tem que se aliar ao povo. Durante a transição no Egito nós precisamos que o Exército defenda as primeiras etapas da democracia", afirmou.

Mubarak desafiou os manifestantes na quinta-feira e se recusou a renunciar.

O Die Presse não especificou quando realizou a entrevista, que não fez referência ao pronunciamento televisionado de Mubarak na noite de quinta-feira.

ElBaradei retornou recentemente ao Egito após anos vivendo no exterior, trabalhando na ONU, e agora dirige um movimento político liberal. Ele pediu que seja criado um conselho presidencial composto por três pessoas e um governo de união nacional que inclua tecnocratas de credibilidade incontestável.

(Reportagem de Michael Shields)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOELBARADEICAOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.