Governo do Quirguistão autoriza soldados a atirar para matar

O governo interino do Quirguistão determinou neste sábado que as forças de segurança do país podem atirar para matar nos confrontos para conter lutas étnicas que já mataram pelo menos 77 pessoas e feriu mais de 1.000 nas regiões de Osh e Jalalabad, no sul do país.

REUTERS

12 de junho de 2010 | 15h40

A decisão é válida nas regiões em que foi declarado estado de emergência, para defender civis e para defesa própria, e em caso de ataques em massa ou armados, segundo o decreto.

A documento vale a partir de sua assinatura até o momento em que o estado de emergência for revogado.

Tudo o que sabemos sobre:
QUIRGUISTAOATIRAPARAMATAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.