Governo do Rio anuncia ocupação de mais um morro

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, anunciou que até o final do mês outro morro na Tijuca, na zona norte, será ocupado pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) para a instalação da nona Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Hoje, a UPP do Morro do Borel foi inaugurada simbolicamente, pois ainda não conta com sede. Os policiais ficarão abrigados em três contêineres.

PEDRO DANTAS, Agência Estado

07 de junho de 2010 | 17h57

De acordo com o comandante do Bope, coronel Paulo Henrique Moraes, a Secretaria de Segurança Pública escolherá entre os morros do Andaraí, Salgueiro ou Macacos. No dia 19 de maio, em uma incursão do Bope no Morro do Andaraí, um cabo confundiu uma furadeira com uma submetralhadora e matou o supervisor de supermercado Hélio Ribeiro, de 46 anos.

Inaugurada hoje, a unidade do Morro do Borel é a oitava UPP na cidade e contará com 382 policiais. Eles também patrulharão os morros da Cruz, Indiana, Chácara do Céu, Catambri, Bananal, Casa Branca e Formiga onde deve ser instalada uma base da UPP. Cerca de 20 mil pessoas moram nestas favelas, de acordo com o governo do Estado.

Em clima de campanha, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), disse que a UPP será uma "revolução cultural" nas comunidades. Ele recomendou aos policiais da UPP para conciliar disciplina e carinho na relação com os moradores. "Quanto mais pobre, mais atenção", pediu Cabral. Ele prometeu a titularidade das propriedades para os moradores e disse que desapropriará um hipermercado fechado há cinco anos por causa da violência, caso a empresa não reabra. "Podemos transformar em uma escola técnica, mas fechado não fica" declarou o governador.

Tudo o que sabemos sobre:
RioviolênciamorroUPPocupação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.