Governo do Rio terá de indenizar mãe de filho morto por PMs

Homem portador de síndrome de Down teve crise e jogou pedras em viatura; policiais revidaram com três tiros

Elvis Pereira, estadao.com.br

29 Janeiro 2009 | 17h57

O governo do Rio de Janeiro terá de indenizar a pensionista Maria José Faria de Oliveira em R$ 70 mil, em razão da morte do filho dela, portador de síndrome de Down. Em maio de 2003, Francisco Carlos Faria de Oliveira, de 43 anos, foi morto por três tiros disparados por policiais militares, em Campos dos Goytacazes. A sentença partiu da 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça (TJ) fluminense e foi publicada há uma semana. No dia do crime, Francisco sofreu uma crise psiquiátrica. Como começou a quebrar objetos dentro de casa e agrediu sua mãe, a aposentada saiu de casa para pedir ajuda. Quando voltava, avistou o carro da PM que fora acionado por vizinhos, assustados com o tumulto. Francisco jogou pedras contra os PMs, que revidaram com três tiros. Segundo o TJ, em depoimento os policiais contaram que foram agredidos com pedaços de pau e pedra e Francisco portava uma pistola. Durante as investigações, entretanto, eles confessaram que a arma era de brinquedo e fora colocada no lugar do crime. "Restou demonstrado nestes autos que os policiais tentaram induzir em erro para justificar o ato brutal cometido ao afirmarem que o falecido estava portando uma arma, mas que só depois foi que comprovaram ser a mesma de brinquedo", afirmou o relator do processo, desembargador Orlando Secco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.