Governo do TO retoma gestão de hospital

Irregularidades levaram autoridades a anular terceirização da administração da maior instituição do Tocantins

PALMAS, O Estado de S.Paulo

21 Março 2012 | 03h02

O governo do Tocantins retomou ontem a administração do Hospital-Geral de Palmas (HGP), que havia sido entregue à Associação Beneficente de Assistência Social Pró-Saúde em setembro do ano passado. O HGP é o maior e mais completo do Estado. Contratada por R$ 258,4 milhões anuais para gerenciar 17 dos 19 hospitais de Tocantins, a Pró-Saúde receberia R$ 45,6 milhões só pelo HGP.

O secretário estadual da Saúde, Nicolau Esteves, negou ter havido rompimento, alegando que o contrato continua válido e haverá uma gestão compartilhada. Informou que o contrato será revisto, já que a entidade continua responsável pelas atividades-meio, como higienização e compra de medicamentos. "A Pró-Saúde gerencia mais de 60 hospitais. Não podemos dispensar essa experiência."

Entre as denúncias que levaram à retomada da direção do HGP estão a falta constante de medicamentos, contaminação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e retirada dos vigilantes. Além disso, mais de uma dezena de atendimentos só foi feito após intervenção da Defensoria Pública e do Ministério Público Estadual (MPE). Para completar, na análise da prestação de contas da entidade, a secretaria verificou pendências e deu 15 dias à entidade para resolvê-las. / CÉLIA BRETAS TAHAN, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.