Governo está 'predisposto' a reajustar tabela do IR,diz ministro

O governo tende a reajustar a tabela do Imposto de Renda da pessoa física depois que for concluída a aprovação, pelo Senado, do salário mínimo.

REUTERS

17 de fevereiro de 2011 | 17h43

"Superada a fase do salário mínimo, nós iremos analisar e a predisposição do governo, que expressa a coerência que teve em relação ao salário mínimo, é também de reajustar a tabela do Imposto de Renda", disse nesta quinta-feira o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio.

O ministro disse ainda que a aprovação na quarta-feira pela Câmara dos Deputados do salário mínimo de 545 reais e de uma política de reajuste para o piso dá estabilidade ao país. "A aprovação dessa política até 2015 dá uma estabilidade, uma confiabilidade e expressa a seriedade do governo com as contas públicas."

Segundo Luiz Sérgio, Dilma comemorou a vitória, a primeira de seu governo em uma votação polêmica. "A presidente evidentemente ficou contente, ficou alegre, muito satisfeita com a base aliada. Quero aproveitar a oportunidade para agradecer porque ela (a base) correspondeu à expectativa do país", disse o ministro.

O apoio maciço do PMDB --o partido não teve dissidentes-- não surpreendeu o governo. "O PMDB é governo e teve na Câmara dos Deputados uma atitude que expressa aquilo que já esperávamos, uma atitude de governo", disse o ministro que espera agora que o Senado também aprove a proposta.

Com relação aos votos dissidentes na base, Luiz Sérgio disse que esse é um assunto das bancadas e dos partidos, e não do poder Executivo, mas ressaltou que "não é bom que haja dissidência, principalmente na bancada do partido da presidenta da República." Dois deputados do PT votaram a favor do salário mínimo de 560 reais.

Luiz Sérgio negou que o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, esteja com o cargo ameaçado, apesar de deputados de seu partido, o PDT, terem votado por um salário mínimo maior. "A maior parte da bancada do PDT votou com o governo", disse. Na legenda, nove votaram por 560 reais.

(Reportagem de Leonardo Goy)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAIRLUIZSERGIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.