Governo libera R$ 3 bi para evitar danos políticos

Análise: Marcelo de Moraes

, É JORNALISTA DE O ESTADO DE S. PAULO, O Estado de S.Paulo

17 Maio 2012 | 07h44

O governo já autorizou a liberação de pelo menos R$ 3 bilhões para tentar amenizar o impacto da seca no Nordeste e das cheias no Norte.

O grosso da verba está sendo destinado para o combate à falta de chuva na região do semiárido. Ao todo, R$ 2,7 bilhões serão usados para conter o prejuízo que será provocado por conta da iminente quebra das safras locais e para impedir a morte ou a venda dos rebanhos.

Já o Norte levará perto de R$ 400 milhões para ações de combates às cheias, especialmente porque os rios chegaram a níveis alarmantes.

O governo federal sabe do estrago político que as duas crises podem provocar. Num ano de eleições municipais, as questões climáticas têm repercussão imediata sobre a população e podem desgastar a imagem do governo. Não foi à toa que a presidente Dilma Rousseff passou as últimas semanas conversando com governadores e ministérios para discutir soluções.

O governo decidiu ampliar o alcance do Seguro Garantia Safra. Ele será pago em cinco parcelas de R$ 136, no total de R$ 680 por beneficiado, a partir de junho. As famílias que estiverem fora do alcance do programa serão favorecidas pelo chamado Bolsa Estiagem. Cada beneficiado leva R$ 400, em cinco parcelas de R$ 80.

Para reduzir os efeitos da seca, uma das recomendações feitas por Dilma foi que se evitasse ao máximo a tradicional distribuição de cestas básicas. O temor é que ela ocorra com base em interesses políticos dos prefeitos do interior, tendo como foco as eleições municipais. A ideia era aplicar medidas mais estruturantes. Mas, nas cidades mais atingidas, o governo já admite que pode ser inevitável a distribuição das cestas para evitar que a população passe fome.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.