Governo mantém apoio a Sarney e minimiza posição do PT

O governo considera que a posição da bancada de senadores do PT pedindo o afastamento temporário do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), foi restrito a alguns parlamentares do partido.

REUTERS

27 Julho 2009 | 15h04

"Avaliamos que não é um movimento do PT. Imaginamos que seja o posicionamento de um ou dois senadores", disse a jornalistas o ministro José Múcio Monteiro (Relações Institucionais) nesta segunda-feira.

"Como o Senado está de recesso, muitos estão fora, estamos esperando que a poeira baixe para se conversar na próxima semana", acrescentou.

A declaração foi dada nesta segunda-feira após reunião semanal de coordenação que reúne o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os principais ministros do Executivo.

Múcio lembrou que o presidente Lula conversou com a bancada há 15 dias e duvidou que a posição seja de todos os senadores. "Nós lamentamos a decisão", disse.

Na sexta-feira, nota da liderança do PT no Senado que pede o afastamento de Sarney afirma que há "indícios concretos" de envolvimento do senador na denúncia sobre os atos secretos a partir de gravações que apontam a participação dele na nomeação do namorado de uma neta para uma vaga no Senado.

Questionado se o governo mantém o apoio a Sarney, Múcio foi positivo. "Não tenho dúvida", reagiu.

(Texto de Carmen Munari; Edição de Alexandre Caverni)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA CORRDENACAO SARNEY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.