Governo monitora petróleo para decidir sobre combustível--fonte

O governo segue monitorando as cotações internacionais do petróleo antes de tomar qualquer decisão sobre um eventual reajuste dos preços internos dos combustíveis no Brasil, disse uma fonte do governo que pediu anonimato.

REUTERS

28 Março 2012 | 18h21

Nesta quarta-feira, o petróleo nos EUA fechou com baixa de 1,92 dólar por barril, a 105,41 dólares. "Se o petróleo mantiver a queda, dificilmente teremos reajuste da gasolina", disse essa fonte.

O petróleo Brent também terminou esta quarta-feira com queda de 1,38 dólar, a 124,16 dólares.

Alegando defasagem entre os preços domésticos e os internacionais, a Petrobras vem propondo ao governo um reajuste do preço da gasolina, disse essa fonte.

Segundo esse mesmo interlocutor, o governo entende a preocupação da Petrobras, mas também precisa estar atento ao impacto de um eventual aumento da gasolina na inflação.

"Um dia o preço da gasolina terá de aumentar", disse essa fonte, para em seguida dizer que nenhum governo gosta de aumentar a gasolina.

"Vamos monitorar os preços internacionais antes de qualquer decisão", disse.

(Reportagem de Leonardo Goy)

Mais conteúdo sobre:
ENERGIA PETROLEO GASOLINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.