Governo não admitirá atraso na MP do Mais Médicos, diz Padilha

Medida provisória deve ser votada na tarde desta terça em comissão mista do Congresso

RICARDO BRITO, Agência Estado

24 de setembro de 2013 | 12h49

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou nesta terça-feira, 24, que o governo não vai admitir atrasos dos parlamentares para aprovar a Medida Provisória do Mais Médicos, que perde a validade em novembro. O texto deve ir à votação esta tarde na comissão mista que analisa a MP. "A condução está no prazo. É importante o debate na comissão mista, ela pode aprimorar a MP. Vamos concluir o processo na comissão e ir ao plenário (da Câmara e do Senado)", afirmou ele, em visita ao Congresso Nacional hoje.

Para o ministro, a discussão sobre o programa é o retorno do "bom debate" no parlamento. "O Mais Médicos já começa a mudar a realidade do povo brasileiro", afirmou.

O ministro reuniu-se com os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). No momento, passou na sessão solene do Congresso em homenagem aos 60 anos da Rede Record de Televisão. Ele é pré-candidato do PT ao governo de São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Mais médicosPadilhaMP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.