Governo polonês diz que extremista planejava explodir parlamento

Autoridades polonesas anunciaram nesta terça-feira a prisão de um nacionalista radical que planejava detonar um veículo carregado com quatro toneladas de explosivos do lado de fora do Parlamento, possivelmente quando o presidente e o primeiro-ministro estivessem no prédio.

Reuters

20 de novembro de 2012 | 11h43

O suposto plano foi o primeiro deste tipo a ser exposto desde que a Polônia saiu do regime comunista há mais de 20 anos, e deve motivar um intenso escrutínio sobre grupos radicais de direita na Polônia, ferozmente contrários ao governo liberal.

A televisão polonesa, citando fontes próximas à investigação, disse que o suspeito pretendia copiar métodos usados ??por Anders Behring Breivik, o norueguês que matou 77 pessoas em ataques a bomba e arma no ano passado e que declarou ter sido impulsionado pela extrema-direita.

"O caso parece muito sério", disse Pawel Gras, porta-voz do governo, a uma rádio local. "Nós sabemos que os possíveis alvos seriam o presidente, o Parlamento e o Governo."

Os promotores disseram que o homem, um cientista que trabalha para uma universidade no sul da cidade de Cracóvia, tinha montado um pequeno arsenal de material explosivo, armas e detonadores por controle remoto e estava tentando recrutar outras pessoas para ajudá-lo.

A sociedade polonesa está profundamente polarizada entre os liberais e aqueles que acreditam que o país está negligenciando suas raízes católicas e sucumbindo à influência estrangeira.

(Reportagem de Dagmara Leszkowicz and Marcin Goettig)

Tudo o que sabemos sobre:
POLONIAEXTREMISTASPARLAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.