Governo prepara manual sobre nova droga para Gaucher

O Ministério da Saúde prepara um manual e um cronograma de visitas para combater uma eventual resistência de médicos e pacientes ao novo remédio comprado para tratar a doença de Gaucher. O remédio taliglucerase alfa, produzido pelo laboratório Pfizer, foi adquirido por R$ 52,47 milhões, em caráter de urgência, para evitar a interrupção brusca de tratamento dos 610 portadores assistidos pelo governo.

AE, Agência Estado

25 de agosto de 2010 | 11h07

Pacientes com a doença apresentam deficiência no metabolismo de gorduras. Quando não tratado, o problema pode levar à morte. Apesar da ameaça de desabastecimento, portadores da doença dizem estar inseguros por não haver informações suficientes sobre a nova droga e pelo fato de ela não ser registrada no FDA, o órgão que libera a comercialização de medicamentos e alimentos nos Estados Unidos.

Para tranquilizar o grupo, a pasta prepara um manual de uso do medicamento e um cronograma de visitas para pacientes e médicos. Entre as informações prestadas está a de que a droga também deverá ser usada na França, também pela dificuldade na obtenção do remédio padrão.

Os estoques da droga usada tradicionalmente, imiglucerase, devem durar até meados de setembro. Em maio, o governo tentou comprar um novo lote, mas a transação não foi concluída. O laboratório produtor, Genzyme, não deu garantias de que a entrega seria feita no prazo e na quantidade estipulados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
saúdedoença de Gauchermanual

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.