Governo prorroga IPI menor para linha branca

Com o objetivo de estimular a economia neste ano, o governo decidiu prorrogar a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a linha branca, além de incluir outros setores no benefício.

REUTERS

26 Março 2012 | 19h19

"Estamos começando o aquecimento da economia neste primeiro semestre", afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em entrevista coletiva nesta segunda-feira. "A economia vai crescer a taxas próximas de 5 por cento no segundo semestre para ter crescimento (em 2012) maior que 2011", emendou.

Mantega anunciou a prorrogação por mais 3 meses da redução de IPI sobre a linha branca, que encerraria no dia 31 deste mês. Com isso, mantém-se as seguintes alíquotas: zero sobre os fogões de cozinha; 5 por cento para refrigeradores e congeladores; 10 por cento para lavadoras de roupa; e zero para os "tanquinhos".

O ministro da Fazenda anunciou ainda a redução do IPI sobre móveis de 5 por cento para zero. A alíquota do tributo sobre luminárias e lustres também caiu, de 15 para 5 por cento. Já para laminados houve redução de 15 por cento para zero no imposto. A renúncia fiscal, segundo Mantega, é de 489 milhões de reais para o governo federal.

"A contrapartida é a manutenção do emprego. Não pode haver demissões nesses setores. Em fevereiro, a indústria admitiu 50 mil (trabalhadores) e queremos que isso continue", afirmou o ministro da Fazenda em entrevista coletiva.

Nesta segunda-feira, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), caiu 0,13 por cento em janeiro ante dezembro. O IBC-Br incorpora estimativas para a produção nos três setores básicos da economia -serviços, indústria e agropecuária.

(Reportagem de Frederico Rosas)

Mais conteúdo sobre:
MACROIPIPRORROGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.