Governo prorroga quebra de patente de droga contra aids

O governo prorrogou por cinco anos o prazo de vigência do licenciamento compulsório das patentes referentes ao Efavirenz para fins de uso público não comercial, conforme decreto publicado nesta segunda-feira no Diário Oficial da União. O antirretroviral Efavirenz é o medicamento importado mais utilizado no tratamento da aids e distribuído na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). O Brasil é um dos maiores compradores mundiais do remédio.

AE, Agência Estado

07 Maio 2012 | 16h03

Conforme informações da Agência Brasil, o licenciamento compulsório foi decretado pela primeira vez em maio de 2007, para permitir ao governo brasileiro a importação de versões genéricas do Efavirenz de laboratórios pré-qualificados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O direito de produção da droga era do laboratório Merck.

Mais conteúdo sobre:
saúde patente aids

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.