Governo vai apurar suposta fraude na melhor escola de SP

Reportagem do portal iG conversou com alunos que disseram ter tido ajuda durante prova que avalia o ensino

O Estado de S.Paulo

03 Abril 2012 | 03h02

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo vai pedir que sejam apuradas as circunstâncias da realização da prova do Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) realizada na Escola Estadual Reverendo Augusto da Silva Dourado, em Sorocaba.

A unidade foi a mais bem colocada no Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo (Idesp) e, segundo reportagem do portal iG, estudantes e pais disseram ter recebido ajuda de docentes para fazer o exame.

Em nota, a pasta informou que vai solicitar um relatório à Fundação Vunesp, responsável pela aplicação do Saresp. Com base nos esclarecimentos prestados, a secretaria vai decidir quais providências serão tomadas.

Entretanto, a secretaria afirma que o exame não foi aplicado por professoras da própria escola. Para a elaboração e fiscalização da avaliação, a pasta defende que uma empresa terceirizada é contratada e mantém fiscais presentes nas salas de aula. As escolas também contam com a presença de pais voluntários para a fiscalização.

O desempenho da unidade em Sorocaba ultrapassa o dobro da média das turmas do 5.º ano do ensino fundamental. A reportagem do iG afirma ter conversado com quatro estudantes que fizeram as provas de português e matemática do Saresp e relataram que tiveram ajuda dos professores durante a avaliação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.