Governo vai assumir transmissões de futebol na Argentina--mídia

Os dirigentes do futebol argentino reuniram-se com autoridades do governo nesta quarta-feira em meio a notícias da imprensa de que o governo da presidente Cristina Kirchner planeja assumir os direitos de transmissão das partidas do país.

REUTERS

12 Agosto 2009 | 15h19

A crise financeira global secou uma importante fonte de recursos para os clubes argentinos, já que as equipes europeias estão pagando menos para comprar jogadores sul-americanos. Os times também foram acusados de administrar de forma incompetente suas finanças.

O governo de tendência esquerdista de Kirchner, que aumentou o controle estatal sobre a economia, ofereceu pagar 600 milhões de pesos (158 milhões de dólares) por temporada à Associação de Futebol Argentina (AFA), pelos direitos de televisionar as partidas, de acordo com reportagens dos jornais Clarín e La Nación.

Seria mais do que o dobro do que o grupo TSC pagava antes de a AFA romper o contrato na terça-feira.

José Luis Meiszner, secretário-executivo da AFA, e outros dirigentes da associação explicaram a decisão de pôr fim ao contrato em uma reunião com o chefe de gabinete do governo Anibal Fernandez e outras autoridades importantes no palácio presidencial.

'Teria parecido desrespeitoso...vir aqui pedir ao governo por subsídio. Viemos apenas contar a eles sobre a decisão e explicá-la", disse Meiszner a jornalistas no palácio.

Ele acrescentou que os diretores da AFA esperavam se encontrar em breve com a presidente Cristina Kirchner.

(Por Luis Andres Henao)

Mais conteúdo sobre:
ARGENTINAFUTEBOL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.