Governo vai distribuir 84 milhões de camisinhas no Carnaval

O Ministério da Saúde distribuirá este ano 26 milhões de camisinhas a mais do que no Carnaval de 2010, informou nesta sexta-feira o ministro Alexandre Padilha.

REUTERS

25 de fevereiro de 2011 | 19h34

Durante o lançamento da campanha contra a Aids "Sem Camisinha Não Dá", Padilha anunciou que serão entregues no Brasil até o Carnaval 84 milhões de preservativos, que foram fabricados no Acre e são mais resistentes.

O alvo da campanha em 2011 serão as adolescentes e jovens, cuja incidência da doença aumentou nos últimos anos.

"Este ano o nosso foco é alertar as meninas, uma vez que nossos dados mostraram que na faixa de 13 a 19 anos o número de casos é maior entre as mulheres", disse ele a jornalistas durante o lançamento da campanha na quadra da escola de samba Salgueiro, no Rio de Janeiro.

"As meninas devem pedir que o parceiro use camisinha. Mulher que pede, é mulher inteligente", acrescentou.

Segundo ele, nas demais faixas etárias o número de casos de pessoas infectadas ainda é maior entre homens do que em mulheres.

Durante o evento, o ministro fez um teste que detecta se a pessoa é soropositivo. Ele afirmou que o governo pretende reforçar ainda mais este ano as campanhas contra a doença, mesmo depois do Carnaval.

"Estamos preparando uma ação para depois do Carnaval, onde serão montadas tendas e centros de teste para que as pessoas possam fazer o teste do HIV", disse Padilha.

A partir desta sexta-feira, serão exibidos vídeos na televisão e na Internet com a campanha contra a Aids. A peça publicitária será protagonizada por mulheres jovens que chamam a atenção para a necessidade do uso de preservativos durante e depois da folia.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALSAUDECAMISINHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.