Governo vai tentar derrubar convocação de Palocci na Câmara

Pego de surpresa com a convocação do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, na Comissão de Agricultura da Câmara, o governo vai tentar derrubar o requerimento da oposição, considerado "antirregimental" pelo ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio.

REUTERS

01 Junho 2011 | 14h26

Quando o requerimento do deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) foi aprovado nesta quarta-feira na comissão da Câmara, todos os líderes governistas participava de uma reunião do Conselho Político com a presidente Dilma Rousseff.

Lorenzoni solicitou, no requerimento, explicações sobre "os termos da consultoria prestada pela Projeto a empresas", referindo-se à consultoria do ministro.

Luiz Sérgio e o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), foram avisados durante a reunião da manobra da oposição, mas o ministro disse que não repassou o recado para a presidente, que posteriormente soube da convocação.

"Tivemos informações precisas de que se tratou de um golpe da oposição e o próprio parlamento dará respostas, porque ele tem regras e tem regimento que precisam ser respeitados", disse Luiz Sérgio em entrevista à imprensa.

O governo considera que a aprovação foi um golpe ao regimento, porque os parlamentares da base presentes à sessão da comissão não puderam se manifestar contrariamente ao requerimento.

"Tem que dar nem que seja alguns segundos para os que são contrários levantem os braços", reclamou o ministro.

Luiz Sérgio disse ainda que o governo está convicto de que conseguirá reverter a manobra e evitar a ida do ministro ao Congresso para explicar sua evolução patrimonial e a atuação da sua consultoria durante o período em que foi deputado, entre 2006 e 2010.

"Estamos seguros que o golpe dado pelo DEM na Comissão de Agricultura será revertido", disse o ministro.

Desde que foi divulgado no mês passado um aumento de 20 vezes no patrimônio do ministro em quatro anos, a oposição vem tentando aprovar pedidos em comissões para que Palocci explique seu aumento patrimonial e serviços prestados por sua consultoria.

O governo tinha, até então, derrubado todos os requerimentos. A oposição tenta ainda conseguir assinaturas para instalar uma CPI mista no Congresso.

(Reportagem de Jeferson Ribeiro e Maria Carolina Marcello)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA PALOCCI GOLPE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.