GP do Barein não será realizado este ano, diz Ecclestone

O Grande Prêmio de Fórmula 1 do Barein, que teve de ser adiado no início do ano, não poderá ser realizado nesta temporada devido à situação política no país e pela rejeição das equipes competidoras, disse nesta quarta-feira o chefe supremo da F1, Bernie Ecclestone.

ALAN BALDWIN, REUTERS

08 Junho 2011 | 10h46

"Temos esperança de que haverá paz e tranquilidade, e nós poderemos retornar no futuro, mas claro que não haverá (este ano)", disse Ecclestone à BBC.

"O calendário não pode ser reprogramado sem o acordo dos participantes... esses são os fatos."

Não houve comentários de imediato da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), num momento em que muitos membros das equipes estão viajando para o Canadá, onde acontecerá a corrida de Montreal, no domingo.

As equipes já deixaram claro que não querem ir ao Barein em 30 de outubro, nem prorrogar a temporada até dezembro, por razões logísticas.

A corrida no reino do Barein, situado na região do Golfo Pérsico, estava programada para abrir a temporada em março, mas teve de ser adiada por causa dos sangrentos distúrbios e repressão aos manifestantes contra o governo do país.

A FIA havia informado na sexta-feira que o GP do Barein seria mudado para 30 de outubro, data originalmente destinada à primeira prova a ser realizada na Índia, a qual seria transferida para dezembro, ficando como a última da temporada, depois do Brasil.

Mais conteúdo sobre:
F1GPBAHREINECCLESTONE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.