Grã-Bretanha estuda limitar emissões individuais de carbono

O governo do Reino Unido estuda exigir que as pessoas limitem sua produção individual de dióxido de carbono, e permitir que os menos poluidores vendam suas cotas, disse o secretário de Meio Ambiente. David Miliband, uma estrela em ascensão no Partido Trabalhista e possível futuro primeiro-ministro, argumenta que o país precisa realizar mudanças fundamentais para tentar deter o aquecimento global.Ele descreveu a idéia de um comércio interpessoal de emissões de carbono como um "experimento mental interessante", e disse que isso não deve ocorrer no curto prazo. Mas afirmou que autoridades já estudam o comércio de emissões em outras áreas da economia, incluindo corporações privadas e grandes organizações públicas. Ele disse que, um dia, a regulamentação terá de encarar a questão da poluição individual, que segundo o político responde por 44% das emissões britânicas, ocorrendo em atividades como dirigir automóvel, andar de avião, uso de energia elétrica e aquecimento doméstico."Imagine um mundo onde o carbono se torna a nova moeda", disse Miliband, num discurso preparado para ser proferido na noite desta quarta-feira, cujo texto foi divulgado com antecedência.Sob esse plano, o governo dotaria cada cidadão de pontos de uso de carbono. As pessoas gastariam pontos ao comprar gasolina ou eletricidade, e quem precisasse de Mais pontos que a cota oficial poderia comprar as sobras de cidadãos mais econômicos.

Agencia Estado,

19 de julho de 2006 | 15h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.