Grã-Bretanha pune empregadores e aperta cerco a ilegais

Aplicação de multas aumenta drasticamernte; governo intensifica fiscalização.

Andrew Bomford, BBC

05 de maio de 2008 | 10h10

O número de empregadores levados à Justiça por contratar trabalhadores que estão ilegalmente na Grã-Bretanha aumentou drasticamente nos últimos dois meses, depois que uma nova lei entrou em vigor permitindo a aplicação de multas e até mesmo sentenças de prisão contra tais empregadores.Desde o fim de fevereiro, 137 empresas foram pegas por empregarem imigrantes ilegais - um número dez vezes maior do que o registrado em 2007 e mais do que o dobro do número de processados na década passada.Empregadores podem ter de pagar até 10 mil libras (cerca de R$ 32 mil) por cada imigrante ilegal que emprega. Nos últimos dois meses, foram aplicadas multas no total de cerca de 500 mil libras (cerca de R$ 1,6 milhão).Desde fevereiro, também houve um aumento de 40% no número de operações realizadas pela UK Border Agency, ligada ao Ministério da Imigração e responsável pela fiscalização nas empresas."Há muitos empregadores que tentam obter vantagens sobre seus competidores e baixar os salários na Grã-Bretanha empregando pessoas ilegalmente. Agora nós estamos realizado operações muito mais rápidas para pegar os infratores no ato", disse à BBC o ministro de Imigração, Liam Byrne.Passaporte falsoOs empregadores têm a oportunidade de explicar porque imigrantes ilegais estão trabalhando para eles. Se a justificativa não for satisfatória, as autoridades procedem com a aplicação de multas.Muitos empregadores afirmam que pode ser muito difícil identificar um imigrante ilegal."Se alguém chega aqui com um passaporte britânico, como eu vou saber que é um passaporte falso?", pergunta Faisal Ahmed, dono de restaurante que já foi multado por empregar quatro ilegais.Agora, ele diz ter recebido orientações sobre como checar documentos quando suspeitar de alguma coisa. O governo também colocou um número de telefone à disposição das empresas que querem checar o status de um potencial empregado.O governo também enfrenta o problema de como lidar com o número de empregados ilegais encontrados durante as operações. Pode levar meses até que toda a documentação seja feita, e muitos não podem ser deportados se vierem de um país onde correm risco de vida ou de tortura.Segundo o National Audit office, a deportação de cada imigrante custa 11 mil libras (R$ 35 mil) aos cofres do governo. Com um total estimado em mais de 500 mil imigrantes ilegais na Grã-Bretanha, o governo poderia ter de gastar mais de 5 bilhões de libras para deportá-los.No ano passado, foram deportados 63.140 imigrantes. BrasileirosAinda não se sabe se as novas medidas apertando o cerco a empregadores de trabalhadores ilegais na Grã-Bretanha irão afetar a vasta comunidade de brasileiros que trabalham clandestinamente no país. Pesquisadores da Universidade Queen Mary, na Grã-Bretanha, acreditam que haja 200 mil brasileiros estabelecidos no país, sendo que entre 130 e 160 mil estariam em Londres. Eles estimam que 53% dos brasileiros que viviam em Londres em 2006 estavam ilegais.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.