Grade vai substituir muro da raia olímpica da USP

Um antigo projeto paisagístico acalentado há anos por setores do poder público poderá ser colocado em prática e mudar o visual de um trecho da Marginal do Pinheiros. Trata-se da demolição do muro externo da raia olímpica da Cidade Universitária, no Butantã, zona oeste da capital. A intenção é substituir a parede por grades, o que também poderá acontecer no Jockey Club.

CAIO DO VALLE, Agência Estado

11 Dezembro 2012 | 10h37

O governo Alckmin deve anunciar as intervenções nos próximos dias - com outra obra para ligar a Universidade de São Paulo (USP) ao Parque Villa-Lobos, na margem oposta do Pinheiros. A ideia é requalificar uma parte da margem do rio. A informação foi antecipada pelo colunista da revista Época Felipe Patury.

Um dos incentivadores da ideia de derrubar o muro, o vereador eleito Andrea Matarazzo (PSDB) comemorou nas redes sociais. "Li que o governo do Estado vai implantar aquele meu projeto (apresentado em 2009 ao então governador José Serra) de trocar os muros da USP por grades!", publicou o ex-secretário municipal de Coordenação das Subprefeituras no Twitter. Já no Facebook, postou: "Você andará pela Marginal do Pinheiros vendo verde e água dos dois lados. Um avanço na paisagem paulistana". Procurado pelo Estado, Matarazzo não respondeu.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) foi questionado na segunda-feira (10) sobre o assunto, em vistoria ao canteiro de obras do pôlder da Ponte da Vila Maria, na zona norte. Sem confirmar diretamente, disse que a USP deverá divulgar a medida. "Nós temos ali dois grandes projetos que vão se integrar. Devem ser anunciados dentro de mais alguns dias."

Por telefone, a Assessoria de Imprensa da USP não se manifestou. Já o Palácio dos Bandeirantes informou apenas que não tem "nenhuma informação oficial" sobre o projeto. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Mais conteúdo sobre:
USP raia olímpica grade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.