Grande SP tem noite de violência com mais de 10 mortes

No primeiro final de semana após a posse do novo secretário de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, a Região Metropolitana de São Paulo teve uma das noites mais violentas do ano. Mais de dez pessoas morreram e 21 ficaram feridas em assaltos, combates entre a Polícia Militar (PM) e bandidos e ataques a bares de Osasco e São Bernardo do Campo.

EQUIPE AE, Agência Estado

25 de novembro de 2012 | 15h02

Por volta das 4h deste domingo, quatro pessoas morreram atingidas por tiros quando estavam em um bar na esquina da Rua Manaus com a Rua Fortaleza, em Osasco, na Grande São Paulo. No local, outras 11 pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas para o Hospital Rochdalle. Ainda em Osasco, durante uma tentativa de roubo na Avenida Hildebrando de Lima, dois ladrões foram surpreendidos pela PM. Houve resistência e um policial acabou baleando dois suspeitos, dos quais um morreu.

Durante uma festa em São Bernardo do Campo, também nesta madrugada, pelo menos sete pessoas foram baleadas em um bar na Estrada dos Alvarengas. Segundo a PM, duas pessoas morreram. Na estrada Eiji Kikuti, na altura do número 700, também em São Bernardo, pelo menos duas pessoas foram baleadas e uma morreu. Ainda na região, na Rua Pedroso Horta, na altura do número 150, uma pessoa morreu baleada.

Na zona leste da capital, três assaltantes invadiram uma residência na Rua Odilon Pires, Jardim Aricanduva, na noite deste sábado, por volta das 21h. Em confronto com a PM, dois suspeitos acabaram baleados. Os atingidos foram socorridos no pronto-socorro do hospital Jardim Iva, mas não resistiram aos ferimentos.

Já em Diadema, três pessoas morreram no início da madrugada, na Rua Doutor Manoel de Abreu, altura do número 387, no bairro da Vila Nogueira. De acordo com informações da PM, dois homens armados se aproximaram das vítimas e atiraram diversas vezes. As três morreram no local do crime, que é apontado como ponto de venda de drogas da região. O caso foi registrado no 3º Distrito Policial da região.

Violência

Desde que a guerra não declarada entre o Primeiro Comando da Capital (PCC) e a PM se intensificou na Região Metropolitana de São Paulo, nos últimos dois meses, o fim de semana mais violento foi o dos dias 10 e 11, quando 25 pessoas morreram entre a noite de sexta-feira e a madrugada de domingo.

Deverá sair nesta segunda-feira, 26, a confirmação da nova cúpula de Segurança, com a nomeação do comandante-geral da PM e do delegado-geral da Polícia Civil.

Tudo o que sabemos sobre:
violânciaSão Paulomortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.