Grandes eventos em SP serão monitorados por câmeras

A Prefeitura de São Paulo quer monitorar grandes eventos. Uma lei sancionada anteontem pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM) permite ao Município exigir que eventos temporários com previsão de público superior a 10 mil pessoas tenham câmeras. A lei, cuja autoria é do vereador Antonio Donato (PT), só deve funcionar de fato quando for regulamentada por decreto.

AE, Agência Estado

15 de novembro de 2010 | 11h02

Segundo a nova regra, a instalação dos equipamentos fica a cargo dos organizadores e deve abranger também a chegada e a saída do público. As imagens têm de ser guardadas durante dois meses e podem ser solicitadas pelas autoridades, se for necessário. Caso a Prefeitura decida que um determinado evento precise ser monitorado, as justificativas para tal devem ser documentadas e o alvará de autorização só será expedido quando o projeto de monitoramento for apresentado pelos produtores do evento.

Questionado ontem, Kassab disse que a medida vale para eventos públicos e privados, que as câmeras deverão permanecer no local até o último dia do evento e que as festividades públicas, como o Réveillon na Avenida Paulista, já contam com monitoramento por imagens. "São medidas adotadas em grandes eventos em qualquer lugar no mundo para trazerem segurança."

Segundo o vereador que propôs a lei, o principal alvo são os shows. "O Estatuto do Torcedor já prevê o monitoramento de partidas de futebol. Pensamos numa forma para dar mais segurança ao público", disse Donato. Um decreto deve ser publicado em 30 dias para detalhar as regras e as punições a quem descumprir a norma. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
câmeraseventosshowsleiKassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.