Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

'Granta' lança coletânea com jovens brasileiros

Tradicional publicação inglesa, responsável por descobrir nomes como Ian McEwan, revelou na Flip a lista dos 20 selecionados

MARIA FERNANDA RODRIGUES , ENVIADA ESPECIAL / PARATY, O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2012 | 03h08

PARATY - Durante a Festa Literária Internacional de Paraty de 2011, a tradicional revista literária Granta, publicada em sete países e responsável por antecipar talentos reconhecidos mais tarde com os principais prêmios internacionais, como Julian Barnes, anunciou a intenção de fazer uma edição para revelar os melhores jovens escritores brasileiros. A ideia foi bem aceita por autores com menos de 40 anos e a Alfaguara, editora responsável pela publicação da revista no Brasil, registrou 247 inscrições. Nos últimos meses, muito se especulou sobre quem seriam esses escritores. O mistério terminou nesta quinta-feira, 6, com o anúncio dos 20 selecionados, também na Flip.

Na relação, há nomes consagrados e premiados e outros que começam a trilhar a carreira literária. A gaúcha Luisa Geisler, de 21 anos, é a mais jovem (mais informações nesta pág.). Os outros são Cristhiano Aguiar, Javier Arancibia Contreras, Vanessa Barbara, Carol Bensimon, Miguel del Castillo, João Paulo Cuenca, Laura Edler, Emilio Fraia, Julián Fuks, Daniel Galera, Vinicius Jatobá, Michel Laub, Ricardo Lísias, Chico Mattoso, Antonio Prata, Carola Saavedra, Tatiana Salém Levy, Leandro Sarmatz e Antonio Xerxenesky. A maioria nasceu no final dos anos 1970 e início dos anos 1980.

Segundo o editor Marcelo Ferroni, puderam participar escritores nascidos a partir de 1972 que tivessem publicado pelo menos um texto em meio impresso. Eles tiveram de enviar contos inéditos ou trechos, também inéditos, de um romance.

"É uma coletânea vibrante, com vozes muito diferentes, moderna. E cumpre seu principal objetivo, indicar uma grande quantidade de autores que vão construir o mapa da literatura brasileira da próxima década", disse Roberto Feith, diretor da Objetiva, dona do selo Alfaguara.

Com a edição, os brasileiros terão a oportunidade de serem lidos nos países onde a Granta é editada - entre os quais Estados Unidos, Grã-Bretanha, Itália e China - e, principalmente, pela crítica internacional e por editoras estrangeiras. A Granta virou grife e ter esse carimbo no currículo é meio caminho para o início de uma carreira internacional. Vale lembrar que essa seleção foi feita por uma comissão julgadora e com base em seus critérios. O júri foi composto pelos críticos e escritores Beatriz Bracher, Benjamin Moser, Cristovão Tezza, Italo Moriconi, Manuel da Costa Pinto, Marcelo Ferroni e Samuel Titan Jr.

Já estão confirmados lançamentos de edições em inglês e em espanhol ainda neste ano. Em 2013, os textos dos brasileiros devem chegar à China. Em dez anos, uma nova edição deve ser feita. O lançamento foi ontem em Paraty, mas a revista - com formato de livro - estará nas livrarias de todo o País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.