Grau de dificuldade da prova do Enem divide opiniões

Sob um forte calor de 30 graus, milhares de alunos compareceram ao campus da Uninove, zona Oeste da capital paulista, para mais um Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Foram cinco horas de prova, com início às 13h20. Os portões foram abertos às 11h30 e o último aluno passou por eles às 13h17. A previsão era de que a unidade receberia 15 mil inscritos no Enem, distribuídos em 250 salas, em dez andares. O número oficial de alunos que compareceu não foi divulgado. Com o apoio de 600 fiscais - dois em cada sala, dois coordenadores por andar, controle de portaria, pessoal para auxílio aos estudantes portadores de necessidades especiais, entre outros -, o clima foi de tranqüilidade, sem registro de nenhuma ocorrência no campus. "Nem mesmo, os poucos que chegaram atrasados insistiram para entrar", disse um desses fiscais. Quatro horas de provaOs primeiros alunos a deixar o prédio levaram apenas duas horas para responder todas as questões, mas a maioria dos estudantes preferiu entregar a prova às 17 horas, quando, segundo o regulamento, poderia levar o material e conferir as respostas junto ao gabarito, prometido para ser divulgado às 19 horas.Muitos acharam a prova fácil outros tiveram dificuldades para responder questões de português e matemática. Para Flávio Gilio, 17 anos, estudante do colégio Premédico, a prova deste ano estava mais fácil do que em 2006. Ele está se preparando para prestar vestibular de Direito e conta com sua performance no Enem para ganhar pontos na entrada para a universidade pública. Débora Carolina Maques, 18 anos, que concluiu o segundo grau em 2006, achou as questões de matemática um pouco mais difíceis que as outras. Ela vai prestar vestibular para Pedagogia. Jonas Febbraio, 17 anos, do colégio Augusto Ribeiro de Carvalho, disse que a prova foi cansativa devido a quantidade de textos para interpretação. O adolescente pretende se formar no curso superior de Propaganda e Publicidade. Já os amigos Guilherme Almeida, Jaqueline Souza e Danilo Amaral, todos do terceiro ano do segundo grau, tiveram algumas dificuldades para responder as questões, principalmente de português. Eles demoraram cerca de quatro horas para concluir o exame. RedaçãoA redação, segundo Jaqueline, foi o que mais tomou seu tempo. O tema "conviver com as diferenças", no entanto, foi aprovado pela maioria dos alunos entrevistados pela Agência Estado. Para João Augusto de Souza, 17 anos, morar em São Paulo facilita a observação dessas diferenças.O Enem recebeu a inscrição de mais de 3,5 milhões de estudantes e foi aplicado em 1.331 municípios brasileiros. O boletim individual de desempenho será enviado para todos os candidatos pelo correio na segunda quinzena de novembro. O documento também poderá ser consultado via internet. Caravana Veículos de passeio, motos, ônibus, metrô e até mesmo caravana. Esses foram os meios de transportes utilizados pelos alunos que prestaram hoje o Exame Nacional do Ensino Médio na unidade da Uninove da Barra Funda. Marcelo Azevedo Feliz, coordenou dois ônibus de uma caravana que saiu de Paraisópolis, zona Sul da cidade. Segundo ele, a caravana foi uma iniciativa das próprias escolas do bairro para facilitar a locomoção dos alunos. Os 15 mil inscritos nessa unidade também puderam contar o fácil acesso do metrô e de terminais de ônibus próximo ao local da realização das provas.

SILVIA ARAUJO, Agencia Estado

26 de agosto de 2007 | 19h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.