Grécia reclama de inspetores da UE e FMI após visita de inspeção

O primeiro-ministro grego, George Papandreou, se queixou ao diretor-geral do FMI, Dominique Strauss-Kahn, neste sábado, dizendo que o comportamento dos inspetores do FMI que monitoram o pacote de resgate multibilionário era "inaceitável".

REUTERS

12 de fevereiro de 2011 | 14h06

Em um raro e duro ataque contra os credores internacionais que salvaram o país do colapso financeiro no ano passado, o governo pediu a eles que parem de interferir nos assuntos domésticos, mas fez isso apenas depois de a mídia local ter criticado o governo por não responder aos apelos dos inspetores por ações mais rápidas e drásticas.

O inspetores da UE, do FMI e do BCE deram à Grécia, país profundamente endividado, um sinal verde para receber mais ajuda financeira na sexta-feira, mas adotaram uma posição mais crítica do que em visitas anteriores, dizendo que Atenas deve acelerar as reformas e vender muito mais ativos.

Papandreou teve uma conversa telefônica com Strauss-Kahn "em que transmitiu a mensagem do governo grego sobre o comportamento inaceitável dos representantes da Comissão Europeia, do BCE e do FMI durante a coletiva de imprensa de ontem", informou o gabinete de Papandreou em um comunicado.

(Reportagem de Lefteris Papadimas)

Tudo o que sabemos sobre:
GRECIACRITICAUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.