Greenpeace coloca baleia inflável em frente ao Planalto

Ativistas do Greenpeace colocaram hoje uma baleia inflável de 15 metros em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília. A ação tinha como objetivo cobrar do Governo Federal o andamento da proposta de criação do Santuário de Baleias do Atlântico Sul. O protesto marcou ainda a entrega de uma petição com mais de 12 mil assinaturas a um representante da Presidência. De acordo com o Greenpeace, em 1999 o governo propôs a criação do santuário, que prevê uma área de proteção aos mamíferos que vivem no hemisfério sul. A proposta, no entanto, estaria parada. Ainda segundo a organização, o País conta com o apoio de países como a África do Sul e Argentina, mas são necessários três quartos dos votos na Comissão Internacional da Baleia (CIB) para estabelecer a área. Essa proporção não foi atingida em nenhuma das reuniões anteriores. O Greenpeace acusa o Japão de pressionar outros países para bloquear a aprovação de novos santuários. "Contamos com o presidente Lula para garantir uma gestão diplomática com países africanos para que eles não cedam às pressões do governo japonês", afirmou a coordenadora da Campanha de Baleias do Greenpeace, Leandra Gonçalves, em nota. A próxima reunião da CIB está marcada para junho, no Chile.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.