Greve: 80% dos servidores de Fundação devem trabalhar

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª região concedeu nesta quinta-feira liminar requerida pelo Ministério Público do Trabalho que obriga o sindicato dos funcionários da Fundação Casa de São Paulo (antiga Febem) a manter 80% dos servidores da instituição trabalhando durante a greve decretada para amanhã.

JULIA BAPTISTA, Agência Estado

27 de maio de 2010 | 20h02

A decisão atinge todos os cargos. O objetivo é a manutenção da guarda, fiscalização e cuidados dispensados aos mais de 6 mil adolescentes atendidos pela Fundação. Caso não mantenha o porcentual de 80% de trabalhadores, o sindicato vai receber multa diária de R$ 200 mil.

Os servidores pedem reajuste salarial, respeito à data-base da categoria e segurança no trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.