Greve de ônibus deixa milhares sem transporte no Rio

Funcionários de empresas de ônibus do Rio de Janeiro realizaram uma greve nesta quinta-feira que forçou milhares de passageiros a aguardar em longas filhas e resultou em cerca de 350 coletivos danificados na cidade, que será palco da final da Copa do Mundo que começa no mês que vem.

Reuters

08 de maio de 2014 | 16h44

A greve de 24 horas começou de madrugada. Houve piquetes na porta das garagens das empresas e em vários pontos da capital. Algumas avenidas e ruas foram bloqueadas e motoristas de ônibus obrigados pelos grevistas a abandonar os coletivos que estavam nas ruas.

Apenas 30 por cento da frota circulou até o fim da manhã, deixando milhares de cariocas sem condução. Os serviços de trem e metrô foram reforçados para atender ao aumento da demanda, de acordo com o governo.

O consórcio de empresas de ônibus da cidade informou que 350 ônibus foram apedrejados por grevistas e pessoas que foram prejudicadas pela paralisação, e que mais de dois milhões de bilhetes deixaram de ser vendidos devido à paralisação.

O Rio de Janeiro será uma das principais sedes da Copa do Mundo, que começa em 12 de junho. A cidade vai receber sete partidas da competição, incluindo a disputa pelo título, no Maracanã, em 13 de julho.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Tudo o que sabemos sobre:
RIOGREVEONIBUS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.