Greve deixa 90 mil pessoas sem ônibus em Teresina

Motoristas querem reajuste no salário e o vale-refeição; 30% da frota continua operando

Ana Luísa Westphalen, Agência Estado

15 de maio de 2008 | 13h14

Motoristas e cobradores de ônibus de Teresina, capital piauiense, entraram em greve nesta quinta-feira, 15, por tempo indeterminado, e cerca de 90 mil pessoas ficaram sem transporte público pela manhã. De acordo com a Prefeitura, 30% da frota de 483 veículos está nas ruas. Para reduzir o problema, 181 ônibus e vans de empresas particulares estão fazendo o transporte, após cadastramento da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans). Segundo o Strans, a categoria reivindica reajuste salarial e do vale-alimentação, além de benefício de plano de saúde integral. Desde o início da semana, o Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Transporte Rodoviários (Sintreto) vem negociando, sem sucesso, com o Sindicato das Empresas de Transporte de Teresina (Setut). A questão será encaminhada à Justiça do Trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.