Greve prejudica projeto da Vale em construção no Canadá

Uma greve de trabalhadores que estão construindo a unidade de processamento de níquel da Vale no Canadá, a Long Harbour, chegou ao quinto dia nesta segunda-feira, com centenas de sindicalizados em protesto salarial se negando a entrar na fábrica.

Reuters

16 de julho de 2012 | 16h33

Os grevistas estão reunidos na via que leva ao projeto em construção na província de Newfoundland e Labrador (Leste), ignorando os pedido do sindicato de volta ao trabalho, noticiou a imprensa canadense.

A Vale disse que metade dos empregados, ou cerca de mil pessoas, estava trabalhando na construção, avaliada em 3,6 bilhões de dólares.

A mineradora brasileira está construindo a usina de Long Harbour para processar o níquel que chegar do projeto de Voisey's Bay, em Labrador. A unidade deve começar a operar em 2013.

A greve começou no quinta-feira, quando cerca de 100 operadores de guindastes bloquearam a entrada para o terreno de obras.

Os operadores reclamam do salário, que dizem ser menor do que em outras regiões do Canadá, segundo a Canadian Broadcasting Corporation. Trabalhadores na Long Harbour são representados por vários sindicatos, e todos têm acordos coletivos.

A Vale conseguiu um mandado de segurança na semana passada para evitar que os trabalhadores fechassem a via que leva ao projeto. Não estava claro nesta segunda-feira se a greve vai atrasar o projeto.

"Este é um importante projeto para nós", disse o porta-voz da Vale Canadá, Cory McPhee. "Precisamos concluí-lo e este tipo de interrupção certamente não ajuda", acrescentou.

(Por Julie Gordon)

Tudo o que sabemos sobre:
MINERACAOVALELEGALGREVE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.