Grevista culpa pais por confusão em creche na USP

Diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade de São Paulo (Sintusp), Magno Carvalho culpou "alguns pais" pela confusão durante piquete na creche central da Cidade Universitária na manhã de anteontem e reiterou a promessa de fechar hoje o Centro de Computação Eletrônica caso não haja acordo na reunião com a reitoria.

Luciana Alvarez, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2010 | 00h00

"Os funcionários da creche, alguns em greve e outros não, decidiram parar por um dia para discutir o tema. O comando de greve foi chamado para dar apoio e não supunha que aconteceriam problemas", alegou. Grevistas impediram a entrada de qualquer pessoa e houve bate-boca. Para dar suporte à suposta reunião de 60 servidores, o Sintusp levou um carro de som, que impediu que pais, crianças e professores que não aderiram à greve cantassem em frente à creche.

O reitor João Grandino Rodas afirmou que fará nova proposta na reunião de hoje e que espera alcançar um acordo para acabar com a "escalada de violência" promovida pelos grevistas. "Isso não ajuda a ninguém. Atrapalha até mesmo a causa deles, que fica cada vez mais repulsiva à população", afirmou.

Segundo o reitor, "a sociedade não mais aceita a continuidade desse tipo de violência em detrimento das pessoas, em especial das mais simples". E disse que não se arrepende de ter apostado no diálogo. "Em uma universidade, devemos esgotar absolutamente os meios pacíficos." /

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.